CONHEÇA - Meio Ambiente
 
 

MEIO AMBIENTE
A Importância da Preservação

A Ecoestrada Serra Mar é uma via especial e precisa receber atenção diferenciada por todos aqueles que usam esta estrada. Por ser um lugar com características tão especiais, o cuidado com o meio ambiente é vital para a conservação e preservação da Mata Atlântica e suas espécies animais e vegetais.

Conheça um pouco mais sobre a Ecoestrada Serra Mar e ajude a preservá-la.
Rios

A maior parte da estrada segue pela bacia hidrográfica do rio Macaé e seus afluentes, rio das Flores e rio Bonito. Seus leitos pedregosos associados à acentuada declividade emprestam à paisagem cenário de rara beleza. A Bacia do Rio Macaé compreende cerca de 1.765 km².

O rio Macaé nasce próximo ao Pico do Tinguá (1.560m de altitude), na Área de Proteção Ambiental de Macaé de Cima, em Nova Friburgo. Seu curso se desenvolve por cerca de 136 km, desaguando no Oceano Atlântico junto à cidade de Macaé. É o maior rio em extensão situado exclusivamente no Estado do Rio de Janeiro.

O rio Macaé ainda guarda muitas surpresas. Pesquisas rescentes descobriram duas novas espécies de peixes no rio que até então não haviam sido catalogadas pela ciência. São espécies de cascudos e pertencem ao gênero Rineloricaria.

O grupo de pesquisa em Ecologia de Peixes da UFRJ, que realiza os estudos sobre a bacia do rio Macaé, também tem voltado suas atenções para uma espécie endêmica, ou seja, que só existe nesse rio, chamada Pareiorhaphis garbei. Sua ocorrência se restringe somente à parte alta do rio Macaé e à cabeceira do rio Macacu.
Vegetação

O relevo da região, marcadamente montanhoso, é recoberto por vegetação arbórea nativa. A Mata Atlântica, também designada Floresta Ombrófila Densa, pode nos trechos, nos trechos mais conservados, ter árvores com alturas de até 40m, formando uma floresta rica em exemplares de orquídeas, bromélias e aráceas. A umidade do solo permite também a abundância de inúmeras samambaias que margeiam trilhas e córregos.

Também destacam-se árvores como as Quaresmas, que anunciam a Páscoa, pois florescem nessa época e formam um espetáculo ao longo da estrada, com suas flores roxas e rosas. Os Palmitos ( Euterpe edulis) inseridos no meio da vegetação e sobressaindo sobre as árvores, oferecem uma bela e plástica composição paisagística. Sem contar inúmeras outras árvores de porte e dossel variado que se destacam e que abrigam bromélias e orquídeas.

O relevo acidentado e a presença de sítios e casas coloniais ao longo da Ecoestrada permitem ao visitante vislumbrar vales e paisagens exuberantes, onde a floresta Atlântica ou até mesmo os trechos de mata já degradados, transformados em pastagens ou clareiras em processo de recuperação natural, tornam a viagem pela Ecoestrada Serra Mar uma experiência sensorial de beleza indescritível.
O Mico Leão Dourado

Já na parte baixa da Ecoestrada Serra Mar, próxima a Casemiro de Abreu, a Mata Atlântica da Baixada Costeira abriga o Mico Leão Dourado, em risco de extinção. O Mico Leão vive em grupos familiares formados, em média, por seis indivíduos, mas pode variar desde dois até 14 indivíduos. Seus hábitos são diurnos e noite dormem em ocos de árvores ou em emaranhados de cipós e bromélias.
Impactos Ambientais

Os maiores impactos ambientais estão relacionados com as atividades humanas. Além da expansão imobiliária ao longo do percurso, atropelamento de animais são frequentes. Por isso é preciso muita atenção ao dirigir pela Ecoestrada, principalmente à noite, que é o período de atividade da maioria dos animais. Cobras, guambás e cuícas atravessam com frequencia a estrada.

O rio Macaé também já mostra sinais de impactos ambientais devido a assoreamento e introdução de peixes exóticos, como a truta, nas sua cabeceiras e o bagre africano inserido na parte inferior do rio.

Também já próxima a cidade de Macaé o rio sofre com a poluição. Esgoto e lixo em são lançados nele. O manguezal do estuário do Macaé também está detonado pelas construções.
O que fazer para ajudar a preservar

• Dirija devagar e com atenção, a Ecoestrada além de ser sinuosa, oferece lindas paisagens. Aprecie a vista. Transforme a sua passagem pela Ecoestrada em um passeio turístico.

• Atenção com os animais silvestres que podem estar tentando atravessar a pista. Observe também que esta é uma área rural e também pode haver animais como bois e cavalos ao longo da Ecostrada.

• Não atire lixo pela janela do carro, muito menos vidros ou bigas de cigarro, que podem provocar acidentes e incêndios.

• Se parar para dar um mergulho nas águas limpas e cristalinas dos rios, assegure-se que ao ir embora, esteja levando todo o seu lixo com você.

• Também não ligue o som do carro no volume máximo. Além de afugentar os animais, você estará perdendo uma excelente oportunidade para escutar os sons da natureza, como o barulho das águas e o canto dos pássaros.

• Na beira dos rios, evite acender fogo para fazer churrasco. Você pode sem querer provocar um incêndio.

• Respeite a população local e sua cultura. A maior parte das áreas ao longo da Ecoestrada são propriedades particulares. Antes de entrar em algum lugar peça informações.

• Existem ao longo da Ecoestrada várias paradas para alimentação e banho de rio. Utilize-as sempre. Certamente se surpreenderá com o bom atendimento, a comida típica e saborosa e os belos lugares. Compre artesanato. Desta forma também estará contribuindo com o desenvolvimento econômico e cultural do local, fortalecendo o ecoturismo.

• Colabore sempre com os projetos de preservação da Mata Atlântica.

• Procure conhecer cada vez mais sobre a Mata Atlântica e a importância de sua preservação. Alfabetize-se ecologicamente.
Biodiversidade

Quando falamos que queremos salvar o planeta, usamos a palavra "biodiversidade" para designar um conceito que, sem dúvida, é enorme. Biodiversidade: a vida, o mundo, a variação da vida no planeta inteiro.A biodiversidade existente na Terra hoje consiste em vários milhões de espécies biológicas distintas, o produto de quatro bilhões de anos de evolução.

Mas a própria palavra “biodiversidade” é, na verdade, bem nova.

A palavra "biodiversidade" foi cunhada como uma contração de "diversidade biológica" em 1985.

E com o aumento do interesse de políticos, cientistas e conservacionistas pela situação do planeta e pela surpreendente complexidade da vida, desenvolvemos um grande apego por essa nova palavra.

E por que falamos tanto sobre a Biodiversidade?

Simples.

Em tempos relativamente recentes, o mundo começou a perder espécies e habitats a uma velocidade crescente e alarmante.

Por quê?

Por causa de nós. http://www.wwf.org.br/natureza_brasileira/especiais/biodiversidade/o_que_e_biodiversidade/


dape